segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Reflexões Matinais.

“Na vida só existem dois caminhos e ambos levam a lugar algum, mas só um tem coração."
(Don Juan - A Erva do Diabo, Carlos Castanheda) 

Ouvi que sou agressiva. 
Ouvi que não sei me relacionar. 
Ouvi que não sei falar elegantemente. 
Ouvi que sou mal educada. 
Ouvi que nunca viram nada disso em mim.
Ouvi que não devo usar roupas curtas. 
Ouvi que sou estupida. 
Ouvi que sou nova demais. 
Ouvi que não sei fazer amor. 
Pois bem, me digam como faço tudo isso: com farinha, água, ovos e manteiga?! Me moldo com moldes como uma dama pra quem? Pra esse monte de gente que só procura formas pra me colocar? Eu não sei se é esse meu interesse imediato. Talvez eu realmente seja nova demais e vocês conservadores e caretas demais. Talvez seja por isso que o platonismo reina todos os dias e horas e segundos. O platonismo entre a realidade e os desejos latentes. Sabe a realidade? Então, ela nunca condiz com o que se passa dentro das nossas cabeças.

Soube dia desses que você pediria abrigo. Eu te cederia abrigo. Eu me cederia para você. 
Soube, dia desses, que você procurou por outras. Eu te ajudo a tê-las. Eu me daria pra você.
Soube, dia desses, que eu sou fantástica, mas você não quer alguém fantástico, você quer alguém 'bonzinho'. Eu te deixo ir pra elas. Eu não tenho tempo de ser boa assim.
Soube dia desses que sou a morena de alguém. Eu ignoro tal paradoxo. Eu sou de ninguém.

'O amor é a força mais abstrata e também a mais potente que existe no mundo.'


Eu não sei mais se isso é verdade. Eu não sou mais de verdade. Pra que eu fique aqui, nesse mundo de potencias e abstrações, preciso ser diferente do que sou. Preciso ser quadrada e comportada. Preciso me portar de forma a ser subjugada. Preciso me deixar ser pisada. Preciso acatar a situações intolerantes. Preciso me vestir com vestidos inebriantes.
Eu não quero ser assim, e por isso, ouvi dia desses 'mas você é sozinha'. 
Talvez eu seja. Talvez eu nem queira. Talvez isso seja uma consequencia dos limites que nem são exatamente meus.
Sai da zona de conforto. Não sei mais entrar. Não me deixarão mais entrar. 

'Vocês estão muito mal informados - influenciados por jornalzinho e televisão...'


25/11/2013 

domingo, 24 de novembro de 2013

Excertos, Desabafos, Claros, Rasos.

Só os fortes permanecerão. Só a velha guarda. 

xxxxxxxxxx

LOUCA, DISSIMULADA, OBLÍQUA, CAPITU, GENI!
Não preciso de falsos acatamentos nesse mundo de sufocos loucos! De mentes que se passam por outras mentes e mentem, muito mais que eu; inutilmente rabiscando palavrões de vermelho, busco outras concepções alheias que não me obriguem a passar por puta arrependida.

xxxxxxxxx

Muitos amores em um pequeno coração que tenta ressurgir das cinzas, e me escapa pelos olhos aos olhos os limites que ele te põe. Põe a mesa e me espera chegar, de hoje não passa: queremos nos amar! Quero te ouvir. E agora te tocar. 
Quero tudo o que não podemos fazer.
Tudo o que não podemos querer.
Em qualquer lugar que não poderemos estar!

xxxxxxxxx

Amanhã farei diferente de hoje: me farei como santa-oca. Sabe como as santas-ocas fazem?! Elas se fingem de vítimas e se contentam com o resultado do processo. É mais fácil e a consequência é imediata. Olhamos pra bunda de cada uma que passar, mas tudo bem isso. Temos que negar nossas vontades e sermos OCAS de desejos para que isso excite vocês. Fiquem excitados com essa lamuria, então! As pessoas deveriam ser mais como eu sou: (prepotente) tímidas e espalhafatosas! A lamuria que decai sobre meus peitos ocos de amor. Mas eu tenho vontades, e isso os incomoda mais do que meu vazio de sentidos.
Os vazios
são
      vocês. 


Domingo, 24 de Novembro de 2013.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

é isso sem poesia.

estão me julgando e pressionando por todos os lados!
pediram pra eu me acalmar e abaixar o tom de voz
pra eu parar de sambar no corredor e desatar alguns dos nós.

estão me criticando e limitando por todos os lados!
pediram pra eu ser menos agressiva e citar minha decisão
pra eu correr menos na vida e prestar mais atenção.

estão me julgando e pressionando por todos os lados!
o lado que eu tô não cabe mais ninguém
e quando peço desculpas pra sair aparecem mais de cem.

estão se impondo e judiando por todos os lados!
estão se fodendo e saboreando por todos os lados!
estão se perdendo e achando por todos os lados!
estão fazendo coisas demais com os botões do meu controle, 
ai penso em validade
e a minha já está acabando - de todos os meus lados. 

fiquei de repente tão exausta de todas as dores
que achei mais fácil despertar as orações
fiquei de repente tão cansada de todas as cores
que achei mais fácil despertar as razões
fiquei de repente tão desgasta de todas as flores
que achei mais fácil despertas as canções.

e mensalmente minha barriga lateja letreiros avisando que ele não vem.

19/11/2013

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Pulsações.

eu escrevo para nada e para ninguém. se alguém me ler será por conta própria e auto-risco. eu não faço literatura: eu apenas vivo ao correr do tempo. o resultado fatal de eu viver é o ato de escrever. há tantos anos me perdi de vista que hesito em procurar me encontrar. estou com medo de começar. existir me dá as vezes tal taquicardia. eu tenho tanto medo de ser eu. sou tão perigoso. me deram um nome e me alienaram de mim. 

(Um Sopro de Vida - Clarice Maravilhosa Lispector)