sexta-feira, 26 de julho de 2013

Querido Diário.

"Querido Diário,
Resolvi parar de reclamar e mandar um foda-se pra tudo."

Eu sou a mesma de sempre: sonhadora.
E ainda gosto muito de poluição. Sonora, visual. Coisas em excesso sempre me deixam em excesso, e eu adoro transbordar.
Bordar coisas novas e limpas em cima de coisas velhas e já sujas. Não! Nunca limpe a poluição sonora que me invade, deixe que eles falem e gritem e percam o sentido ou o respeito.
Deixe que eles andem e corram e mudem de cômodo. E parem a musica.
Mas não os deixe limpar o lugar.
Ocupemos de pensamentos e incômodos todo cômodo que é acomodado. Ocupemos de líricos e agudos todo grave que é gravado.
Não! Não permitam que a música pare.
Enlouqueça em poucos segundos, quase esqueça do frio.
'Brisa, você é insana.'
'Eu sei... E as vezes eu quase gosto disso.'
As vezes eu realmente quase gosto de alguma coisa.
E beba o seu café. Quase em transe, em êxtase, transe de um estado ao outro, em diferentes posições. Subordine-se uma vez às suas vontades de sempre. E beba o seu café. E fume o seu cigarro.
perdi o sentido da coisa.

"A começar por você. Favor não me deixar escrever aqui de novo.
Obrigada."

26/07/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário