sexta-feira, 19 de abril de 2013

William.


Você que gosta de ler o que eu escrevo, ai vai:
é muito comum eu escrever pras pessoas de acordo com o que elas significam pra mim, e hoje me vi num impasse - não sei se cobro que você trabalhe e cresça ou se cobro a sua companhia. Parece ser um dilema egoista, e realmente é, mas eu sou egoista e é sumemo.
Primeira constatação: você me atura estressada, me deixa relatar o meu dia e sempre chega me atropelando nas palavras pra relatar o seu.
Segundo: você tenta andar de skt comigo, e na boa? Isso é impagável.
Terceiro: você faz almoço pra mim quando eu to com preguiça e sempre faz café!
Quarto, quinto, sexto, sabado, domingo - me acostumei com você sempre 'por aqui', e quando eu perguntei quando você começou a ficar tão presente na minha vida você me deu uma resposta dificil de engolir, espero que você saiba disso... E me perguntou esses dias se eu te amo. Algumas coisas a gente engole pelo medo de como elas serão interpretadas, mas eu sou responsável apenas pelas minhas palavras e não pelas interpretações, não é?! Eu te amo, da forma mais singela possível. Com cuidados, broncas, carinho, bebidas, cigarros, bicicletas, tombos, skates... 
Não quero escrever muito porque simplismente não quero e sou cuidadosa com algumas palavras. Mas obrigada por permitir que eu descubra nesse meio tempo um grandississimo amigo.
(As vezes eu sou fofa, eu sei.)

19/04/2013

Um comentário:

  1. Lembro-me, logo quando a conheci, tentei me expressar com uma carta sobre o que eu sentia sobre vc, e foi horrível.
    Não sou um bom escritor como vc !
    Mas ler isso me deixa muito feliz, pois mesmo não conseguindo me expressar através daquele pedaço de papel rabiscado, mas aos poucos com poucos de meus gestos consegui.
    Sim Brisa de novo te amo também !

    ResponderExcluir