quinta-feira, 21 de março de 2013

instantâneo?


Ontem eu o vi passar.
Passou caminhando lento, como se ninguém que te pára fizesse seu caminho mais comprido. Vi passar leve e descontraído.
Ontem o vi cantar.
Cantava gritando, expelindo todo o gozar das palavras.
Então te encarei, latejante, esperando por nossos olhos cruzarem, mas a luz não era meu cenário perfeito no instante. 

Platonismo.
Senti tão forte como se a gente já tivesse se visto, ou se falado ou, ou. 
Senti que eu te gostava forte a cada momento, 
enlouquecido
forte
delirante
Mas a luz não era meu cenário perfeito no instante.

Você veio.
Cheio de graça, malemolência que só a praia pode oferecer.
Nos cumprimentamos, você chegou perto, e foi embora.
Amoleci
Enrubesci
Apaixonei mais uma vez.

E as palavras são para que você não se perca no meu infinito interno.
Não que o momento será guardado: daqui a pouco passará.
Mas é que, 'oi, eu sou a Brisa',
E não consigo mais te ignorar. 

18/03/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário