terça-feira, 11 de dezembro de 2012

e que tudo o mais vá pro inferno!


eu tenho pensado muito sobre isso esses dias...
as pessoas se apagaram no meio da mentira, o mundo já acabou faz muito tempo.
hipocrisia está em alta. as pessoas não se respeitam mais.
comem o proximo durante anos, abusam dos beijos e dos abraços, dos momentos, das risadas, do dinheiro, da casa, comida e roupa lavada e de repente, como diria Vinicius, não mais que de repente, expulsam a dependencia e vão embora.
se você alega isso ser bom para afirmar sua individualidade, me diz através de que você construiu seu egoismo.
é por isso que, passam-se os dias e cada dia mais me vejo na necessidade de não ser algo pra alguém.
não vejo necessidade de abusar dos momentos se eles vão ser empurrados porta afora, de repente.
talvez isso me transforme em uma pessoa mais humana: não precisar explorar seu melhor e ficar com tudo quando você for embora. talvez isso me enobreça e eu me veja cada dia mais fiel a mim mesma.
ou talvez isso simplesmente me transforme numa pessoa chata, fria e sem grandes relações.
e eu fico ouvindo o mundo a minha volta. ouço os latidos, os miados, a tv chiando, a torneira mal fechada... e eu não sinto a menor vontade de mudar isso - estou bem com esses poucos ruidos que me incomodam e me saciam a sede de não estar sozinha.
nasci para morar com gatos e cachorros, não com gente.
nasci pra sofrer gritando na frente do espelho. não tenho ansia de esperar você em casa pra te gritar todas as minhas incompreensões. minhas ansias são solitárias e eu não quero que você me ouça sem ter te ouvido antes.
eu quero que as pessoas gritem mais consigo mesmas. quero que as pessoas esqueçam toda formalidade da moral e se julguem mais. preciso que as pessoas sintam mais falta de si mesmas.
as pessoas não são mais pessoas.
as pessoas não enxergam mais pessoas.
as pessoas não tocam mais pessoas.
as pessoas não distribuem mais pessoas.
as pessoas não têm mais pessoas.
as pessoas não são mais pessoas.
e eu to cansada de coisas que fingem sentir alguma coisa.
e eu sei, não vou conseguir escrever o que eu quero. comecei com falas impostas e acabarei com falas não ditas. tudo o que eu não consigo dizer é o que define.

11/12/12

Nenhum comentário:

Postar um comentário