sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

O primeiro depois do fim do mundo.


As vezes eu me sinto um gato: canso das vidas e mudo.
É por isso que não gosto de humanos, eles têm apenas uma vida e conseguem ser infelizes e foder com ela a todo segundo, sem mudar, eles seguem com ácidos na boca, de forma a se carcomer os dentes e não se poder sorrir.
É por isso que eu me enojo com humanos. Eu não, eu sou um gato... Eu tenho sete vidas e intercalo com elas sempre que quero.
Agora, por exemplo, me li em Bukowski e penso que meus vizinhos não me querem batendo até essa hora. Mas é nessa hora que me dá vontade de bater.
E parece que a vontade nunca mais termina mesmo ignorando-se a logica das palavras batidas e compassadas, musicalizadas. Batidas.
Pensei nas suas pernas agora, de novo.
Queria ter escrito sobre elas enquanto as observava, atentamente, acredite, muitíssimo atentamente.
As pernas esguias, que gosto tanto quanto gosto da palavra 'esguia'. As suas pernas brancas, rabiscadas... Mas quando estava-as observando não consegui ter papel e caneta, e mesmo se os tivesse não poderia usa-los porque uma moça estava a nossa frente falando coisas que repetirei se eu lembrar, e eu deveria lembrar. Mas eu lembro das suas pernas. E da moça que você, corretamente, observava atentamente. Mas você sorria, e eu não conseguia não olhar seus dentes grandes, brancos, na boca perfeitamente desenhada, que acolhe os dentes perfeitos completamente bem.
É o primeiro sobre/para você. E eu não posso me controlar quando você salta pelos meus olhos fechados. E é esse o motivo de eu bater, alto, até essa hora.

22/12/2012

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Las Vegas: como eu conheci.


Eu nunca te falei o quanto você faz falta... Aliás, já falei sim, sempre que possivel, mas é que hoje está latente: você me faz falta. Demais.
Sinto falta de você ser mais calma que eu e me mandar calar a boca por cinco minutos, se chamar de velha, dizer que não aguenta o pique, e me ligar de noite me chamando pra sair.
Sinto falta de você chamar todo o mundo e mais de hipocritas e dizer que eu sou a mais madura deles apesar de chegar aos 27 anos jurando que terei 100.
Sinto falta de você expor sua opinião interrompendo minhas falas e eu degusto todas as suas idéias por mais que não concordemos, a gente se respeita tanto, e isso é tão bonito!
Sinto falta, as vezes, até de te deixar chateada, porque assim eu sei que você ainda está do meu lado, se preocupando com as minhas grosserias.
Sinto falta de receber altos tapas na cara quando você já está... 5h no sábado!
Sinto falta de me preocupar se você chegou ou não em casa depois de conhecer um louco da internet. Sinto falta até de ir pra casa desses loucos com você!
Sinto falta das suas frases bem planejadas, que me inspiram cronicas sobre tudo ou nada.
Sinto falta dos seus atrasos imensuráveis e sua cara de contente quando chega, já reclamando que tá cansada porque é uma viagem me encontrar.
Sinto falta de te respeitar e respeitar seus defeitos e admirar profundamente todas as suas qualidades.
Esses dias, depois de muito tempo (foi muito pra mim) nos encontramos de novo. Você me fez esperar sentada por longos quarentas minutos embaixo do ar condicionado enquanto eu lutava com a minha rinite. Eu tinha já um discursso preparado, uma bronca na ponta de lingua. Mas então te vi chegando, e percebi que eu te amo assim mesmo, com seus atrasos e expressões perdidas, e que não valeria a pena perder qualquer segundo apenas pra tentar consertar uma caracteristica sua que, sabemos, nunca vai mudar - você nasceu enrolada, você é enrolada. E percebi naquele momento que isso é uma das coisas que mais gosto em você: ninguém fala quando você tem que fazer o que tem que fazer, é seu tempo e você simplesmente faz quando quer. Se isso é bom ou ruim, as pessoas que decidam, eu apenas acho que isso é outro pedaço de você, e resolvi admitir nossa amizade através de aceitações.
Eu tenho cada dia que passa aceitado mais toda você. E é você que quero em shows, em casa, em filmes, em viagens, em estudos, nos cafés, nas cervejas, nas danças, nas drogas! É você que quero carregar a vida toda, mesmo que pra isso seja necessário cada uma voltar pra sua respectiva casa/quarto no fim do dia. A gente se amar significa a gente se cansar, e eu me canso pra que você apareça de novo com saudades.
Obrigada por ter, enfim, aparecido na minha vida.
Afinal, se isso não é amizade, eu não sei mais o que é.

17/12/12

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

é pra escrever melhor.


Eu preciso das pessoas pra escrever.
Sentar em um banco de praça e conversar com qualquer um que parar não é bondade nem intromissão: é necessidade.
E eu peço desculpas adiantadas àqueles que perguntarei demais sobre coisas demais. Mas perguntarei mesmo.
Preciso criar personagens, preciso me ver exteriormente, em pessoas opostas ou palavras riscadas.
Eu não sou mais ou menos humana por uma conversa com estranhos, eu sou mais ou menos escritora com uma conversa com estranhos.
E isso sustenta meu ego, não a solidão de vocês.
Entendam que eu não sou uma boa pessoa pra conversarem: eu vou transformar todos em contos! Vou dar musicalidade as falas de vocês, vou dar rimas no final das frases. Vou colocar palavrão em boca de santos, vou colar maquiagens em morador de rua.
Eu vou enfeitar você da forma que eu quiser. Vou te dar beijos quando nem nos abraçamos. Vou te dar tapas quando nem nos falamos.
Eu te observarei mais do que você deixará.
Eu te consumirei por inteiro e quando você quiser parar de comentar eu darei continuidade sem que você saiba.
Meu papel não é ser humano. Não é ser legal. Não é ser comunicativa.
Meu papel é carcomer toda e qualquer minima história ou cacoete que você tenha.
Meu papel é fazer da sua estoria a minha história, e ganhar elogios em cima de tudo o que você se dispôs.
Eu não sou uma boa pessoa pra você conversar, eu só preciso escrever melhor.
12/12/12

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

e que tudo o mais vá pro inferno!


eu tenho pensado muito sobre isso esses dias...
as pessoas se apagaram no meio da mentira, o mundo já acabou faz muito tempo.
hipocrisia está em alta. as pessoas não se respeitam mais.
comem o proximo durante anos, abusam dos beijos e dos abraços, dos momentos, das risadas, do dinheiro, da casa, comida e roupa lavada e de repente, como diria Vinicius, não mais que de repente, expulsam a dependencia e vão embora.
se você alega isso ser bom para afirmar sua individualidade, me diz através de que você construiu seu egoismo.
é por isso que, passam-se os dias e cada dia mais me vejo na necessidade de não ser algo pra alguém.
não vejo necessidade de abusar dos momentos se eles vão ser empurrados porta afora, de repente.
talvez isso me transforme em uma pessoa mais humana: não precisar explorar seu melhor e ficar com tudo quando você for embora. talvez isso me enobreça e eu me veja cada dia mais fiel a mim mesma.
ou talvez isso simplesmente me transforme numa pessoa chata, fria e sem grandes relações.
e eu fico ouvindo o mundo a minha volta. ouço os latidos, os miados, a tv chiando, a torneira mal fechada... e eu não sinto a menor vontade de mudar isso - estou bem com esses poucos ruidos que me incomodam e me saciam a sede de não estar sozinha.
nasci para morar com gatos e cachorros, não com gente.
nasci pra sofrer gritando na frente do espelho. não tenho ansia de esperar você em casa pra te gritar todas as minhas incompreensões. minhas ansias são solitárias e eu não quero que você me ouça sem ter te ouvido antes.
eu quero que as pessoas gritem mais consigo mesmas. quero que as pessoas esqueçam toda formalidade da moral e se julguem mais. preciso que as pessoas sintam mais falta de si mesmas.
as pessoas não são mais pessoas.
as pessoas não enxergam mais pessoas.
as pessoas não tocam mais pessoas.
as pessoas não distribuem mais pessoas.
as pessoas não têm mais pessoas.
as pessoas não são mais pessoas.
e eu to cansada de coisas que fingem sentir alguma coisa.
e eu sei, não vou conseguir escrever o que eu quero. comecei com falas impostas e acabarei com falas não ditas. tudo o que eu não consigo dizer é o que define.

11/12/12

sábado, 8 de dezembro de 2012

Vinte e Quatro Horas


Hoje eu só vim te pedir mais um dia.
Me dá mais 24h e a gente se resolve.
Deixa eu fazer seu café de novo, massagem quando você chegar cansada.
Deixa eu acender seu cigarro depois do almoço, deixa eu deitar do seu lado pra gente ler.
Deixa eu preparar um banho pra você e pegar na sua mão quando você tiver muito concentrada.
Deixa a gente correr pra tomar chuva e eu te olhar intensamente pra você perceber que é a coisa mais bonita.
Deixa eu rir das suas piadas, as vezes inteligentes demais pra mim.
Deixa eu dançar na sala mais uma vez com você e sussurrar a letra da musica no seu ouvido.
Deixa eu tirar seus sapatos quando cair no sofá. Deixa eu beijar sua boca quando você me disse ‘boa noite’.
E deixa, por favor, amanhã eu te pedir mais 24h, para que você não pense em ficar, mas também não vá embora.
E se nem assim você aceitar meus pedidos de minutos, eu peço de novo.
Se der certo, eu prometo pedir mais uns segundos todos os dias.
Se der errado, eu sinto muito, mas meu relógio é de ouro.

07/12/12

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

eu vou me pronunciar.


Existe mulher que, não importa a sexualidade, veio ao mundo pra dar! Eu não, não gosto só de dar – vim ao mundo pra comer também! Vim comer e lamber os dedos, porque não quero passar despercebida. E o mundo é grande demais para eu só me entregar aos poucos. Preciso levar um pouco do mundo comigo, tenho sede e fome eternos e insaciáveis.
E eu espero, doutor, que o senhor saiba tanto de mim a ponto de me confundir.
Eu vou atrás das perguntas com medo de descobrir as respostas e me conformar e parar de procurar.
Eu gosto de procurar.
Se um dia me perguntarem qual momento eu mais gosto em mim, com toda clareza responderei que é quando eu deito pra ler. Cansada. E quando começo a adormecer, tiro meus óculos, fecho meu livro e os ponho de lado. Eu pareço inteligente assim e gosto de encarar personagens... Essa é uma cena tão cinematográfica, não acha?!

Então, doutor, quantas e quais drogas eu preciso pra ficar sã!?

Dezembro 2012

terça-feira, 4 de dezembro de 2012


Nunca foi tão bom imaginar alguém na cama quanto é quando eu me toco pensando em você. 
Eu vou ao delírio. Gaguejo, gemo, GRITO.
Peço por favor pra vir logo. 
Ignorar as mulheres da televisão, a dor no pulso e lembrar do seu sorriso largo e a voz mansa. 
Não sei porque to admitindo isso.
É que no auge do meu pós-você eu me pus a pensar que você é meu ápice sexual sem nunca termos nos beijado. 
Mas esse frio na barriga me faz muito bem - sempre fez!
Adoro desejar intensamente você. 
Desejar a carne e o cigarro de conclusão de curso.
Desejar agora que esse seja apenas o primeiro poema pra você e que um dia você possa o ler em voz alta
Nua
Com as mãos molhadas, ofegante
Deitada na minha cama - e os seguintes sejam relatos e não solicitações.

Sexo me dá fome, preciso me despedir de você. 
Mas eu imploro:
Por favor, volte sempre! 

4/12/12

sábado, 1 de dezembro de 2012

pois cada um sabe o peso do papel que tem.



Não quero entrelinhas, eu quero detalhes!

Se eu fosse Deus eu não seria tão injusta. Levar o que não deve quando não deve. Por que, alguém pode me explicar? Justificar ao menos?! Com palavras clichês e ignorantes e fracas? Alguém pode me falar por que Deus é tão injusto? É por isso que eu não acredito no que dizem. Eu pedi proteção è ela e você tirou nosso neném! O quão bom você é por ter feito isso?! Eu não aceito isso! MUDA! Faz de novo alguma coisa!!!! FAZ ALGUMA COISA POR ELA! Eu não vou acreditar que minhas palavras implorando para vigiá-la tenham sido em vão, não vou acreditar que eu fui ignorada por alguém que insistem em dizem ‘é misericordioso’. Se você existe, Deus, porque fez isso com a minha menina?! Eu falei que agüento o que quiser fazer comigo, mas não com quem eu amo. Que tipo de castigo é esse?! Que machuca as pessoas que não merecem... Castigo pelo o que? Por ser quem são? É por isso que as pessoas fingem tanto ser as coisas? Só pra constar, eu vou te enfrentar o quanto for necessário para você trazer de volta o que é nosso. É NOSSO, EU QUERO DE VOLTA! TRAS!!!!!!!

Estão gritando comigo. Gritando a quatro ventos para eu me calar. Calem-se vocês que sussurram nos meus ouvidos, designando minha vida, pedindo umas coisas que eu não sei fazer e não quero ouvir broncas mais tarde porque meu ouvido ta ocupado ouvindo vocês gritando. Calem-se vocês que me pedem paciência e dependência e juízo. Eu não quero ser paciente nem dependente nem ajuizada. Por que vocês não gritam perguntando o que eu quero? Vamos, eu sei que vocês são capazes de fazer uma pergunta.

Eu só quero que você faça tudo o que tem que fazer e nunca mais mexa com as pessoas que eu amo. Pode estapear minhas faces. As duas. Cuspir nos meus pés – Sou judas. Mas nunca mais, eu imploro, nunca mais machuque as pessoas que eu amo.

1/12/12

nas cinzas das horas.



Quando eles se vão.
Algumas coisas acontecem no tempo certo. Outras não. Outras coisas simplesmente acontecem e são erradas, injustas, incompreensíveis.
O dia que o mundo parou.
Eu queria ter palavras pra dizer que vai ficar tudo bem e que a vida é um caminho tão cheio de espinhos que às vezes não compensa vir pra esse lado, e as pessoas que seriam incríveis e boas demais para estar entre a gente se vão antes de chegar. É assim mesmo, as coisas são difíceis e às vezes quase impossíveis de entender.
Dói, e quem disse que toda dor é poética, estava errado, a dor simplesmente dói. Machuca. Toda perda machuca.
Eu queria poder segurar sua mão e dizer eu vai ficar tudo bem, porque vai ficar tudo bem e no momento certo as pessoas voltam.
Não estamos prontos para entender isso ainda. Não estamos prontos para entender tanta coisa, e algumas a gente se recusa a uma explicação. É normal.
Mas a partir de hoje, as coisas serão mais fáceis pelo simples fato do pior já ter acontecido. Ou não.
O futuro que a gente planeja às vezes é ilusório demais para nossa realidade, mas não custa nada tentar e a gente pinta rostinhos, sorrisos, mãozinhas, passeios, palavras.  A gente pinta tanta coisa pra deixar a tela em branco às vezes.
Me desculpa não estar perto para te abraçar e dizer que sim, tudo vai ficar bem! Porque estamos juntas no aguardo das nossas cores prum quadro novo.
Seja lá seu nome, seja lá suas expressões, estamos no aguardo de você, quando você tiver disposto a vir, quando você quiser ser único nesse mundo que hoje parou por você. Meu mundo agora estagnou por você, no seu aguardo. E quando se sentir a vontade, seja bem vindo, te amaremos o dobro se isso for possível.

1/12/12