quinta-feira, 26 de maio de 2011

Olá mundo, sou sua gatinha selvagem!

Sabe quando você só quer fumar um cigarro? Se sentir demais com menos? Não quantificar trajes, roupas que me engulam! Mas menos decência. Menos charme é sempre mais...

Sabe quando você acha sensualissimo tragar um cigarro e depois ver a fumaça saindo do seu pulmão já em carne viva?! Ah, não... Você não sabe! Você não sabe porque se limita a espaços muito pequenos, limita-se a parte do cérebro que te impuseram a usar. Mas, se eu quiser mais que isso? Mais que essa dicotomia esquerda e direita, ou quando muito a opção ‘central’.

Ah, sim, sim... Adoro centralizar as coisas, principalmente quando eu sou o centro de mim mesma e me adoro, me delicio, tenho orgasmos, tenho delírios. Adoro quando me olho no espelho e me identifico diversa de tudo o que me ensinaram até agora. Adoro olhar minhas expressões confusas.

Sou egoísta... Quem ousa falar meu nome em vão? Eu sou meiga e delicada, mas também sou persuasiva e filha da puta. Sou egoísta.

Mas não sou criativa. Pelo menos não tanto quanto o Clero Burguês.

Sou inteligente quando quero e quando posso...

Façamos assim: use suas rezas tão bem planejadas para tão bem executar suas mentiras. E depois me ensine a mentir.

Enquanto isso vou apreciar meu vicio, meu cigarro, meu fogo, minha fumaça.

“Hello Dad

Hello Mom

I’m your ch ch ch ch cherry bomb!”

26-05-2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário