segunda-feira, 16 de maio de 2011

Domingo (:

E justamente por causa do motivo da briga adoraria tê-lo agora.

Adoraria poder dormir tranquilamente, sem consciência nesse momento... E é, acho que to procurando o inconsciente diariamente! Tô procurando não chegar em casa, tô procurando manter minha estrutura moral intacta e ao mesmo tempo deixá-la pra depois. Sim, deixar essa minha consciência fora de mim, me perder de mim.

Que saudade do meu tempo de álcool todas as noites que me dava vontade, a diferença é que aqui, todas as noites me dão vontade de álcool, já que não conheço nada nesse espaço, nem mesmo a minha própria casa. Aliás, adoraria ter a minha casa para fugir quando quisesse. Meu quintal, meu barulho, meu quarto, minha cama, minhas putas. Acho que é isso: tô com saudade de sexo!!

E não fui para a sua casa porque não quero sexo com você – homens são muito para entretenimento, mulheres são mais... Mais entretenimento ainda, rá! Não estou sentimental hoje, estou física. Não estou querendo amar de novo, me apaixonar de novo, me decepcionar de novo. Estou querendo me divertir essa noite. Fumar meu cigarro ou meu motivo da briga, beber muito vinho ou muita pinga, ouvir músicas que me façam dançar, tocar meu pandeiro ou ouvir seu violão. Hoje quero flertar com vocês todos, jogar meu charme para todos que sentarem do meu lado, me sentir inteligente, divertida, sensual. Hoje quero me perder de mim, trocar de corpo, beber mais vinho!

E não vou dizer apenas hoje porque daqui um tempo vou querer sair de mim novamente. Quando falei que ia parar de brincar, estava brincando. Quando falei que teria que tomar meu rumo, ou cairia na contra-mão, estava brincando. Eu não sou esse tipo de menina que tento ser nem mesmo esse tipo de menina que sou. Eu estou preocupada com a fama que me convém e ao mesmo tempo estou estudando para que estereotipos não me definam. Eu estou perdendo assuntos, perdendo amigos, perdendo juízo! Estou mais política, mas o que é ser mais política? Entendo tanto mais do meu meio e ao mesmo tempo tanto menos do meu ser individual. Mas todos são tão individuais que tornou esse individualismo geral, e, sendo heterogêneo, não é mais singular. Entende o que quero dizer? Ótimo, porque eu também não. E se você tentar filosofar em cima do que eu escrevi, com regras sobre civil ou antropologia, desiste. Porque não tenta me desvendar sobre mim mesma? Porque não tenta me interpretar a parir do que eu falei anteriormente? Não no texto, mas há um ano atrás!

Cortaram meus batimentos cardíacos colados no espelho, cortaram meu nome, minha especificidade, minha pseudo-democracia...

AHAHAHHAHAA

Adoro ouvir minhas risadas internas. Sou egoísta, adoro ouvir minha alegria solitária.

Essa inspiração que vem a tona torna-se tão ‘nada’ perto de tudo o que parece que já veio... E quando me refiro a ‘nada’, é realmente ‘nada’, e envolve ‘tudo’.

Sem aspas, sem aspas: tombadinho fica bom.

Essa inspiração que vem a tona torna-se tão ‘tudo’ perto de nada o que parece que já veio... E quando me refiro a ‘tudo’, é realmente ‘tudo’, e envolve ‘nada’.

Entende? Eu sei de nada, sei de nada... Eu? Só tenho dúvidas!

15-05-2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário