quinta-feira, 14 de abril de 2011

Agradecimentos a Talita por acompanhar as piadas infames (y)

Hoje, na aula, meu professor de Sociologia citou sobre machismo e feminismo, e concluiu dizendo que o capitalismo só vai tomar um rumo decrescente quando forem unificados os gêneros, já que as mulheres, por exemplo, lutam por um mesmo salário, mas possuem carga de trabalho dobrada: além de mães e donas de casa, exercemos também um trabalho fora de casa. Nesse contexto, NA MINHA CONCEPÇÃO, esses paradigmas seriam quebrados se o mundo fosse GAY! Sim, gente, se o mundo todo fosse gay, porque não teríamos que questionar se as mulheres têm dupla jornada ou se os homens têm o trabalho mais pesado, porque todos teriam dupla jornada, no caso de filhos. Em uma casa com dois homens ou duas mulheres E filhos, não importa quem saísse para trabalhar na fábrica ou quem ficasse em casa, AMBOS TERIAM O MESMO SEXO, e esse dilema de ‘quem merece ganhar mais pela sua força de trabalho’ seria completamente suprimido da nossa atual realidade. E como ter filhos nesse contexto tão, tão, tão ideológico? Através de inseminação artificial, claro. Vocês poderiam fazer sexo sem o risco de engravidar, OBA!! Sem preconceitos, povo... Só uma sugestão pessoal. E não, não estou dizendo que os problemas acabariam. Prostituição continuaria, fragmentação de classes também. Nada muito se resolveria, mas a taxa de natalidade estaria um pouco mais controlada e essa fixação por ‘eu sou homem, você, mulher’ controlaria. Preconceito, um a menos. Enfim, muitos prós e contras, como sempre existiu. Essa contradição, como diz a minha professora de ‘história’, é mais velha que andar pra frente, portanto, não crucifiquem minha utopia pós-aula de sociologia, to feliz assim.

“Um casamento atual não é mais dado por homens ou mulheres

Mas, para manter a paz dentro de uma casa, casa-se o vender e o comprar.

A sogra da família chama-se socialismo (sempre contra)

A filha chama-se mercadoria

O filho, produto

O cachorro, o grande jargão da família

E a conversa da mesa, nada mais passa do que negócios.

Afinal, nesse mundo exacerbadamente capitalista, o que significa ser filósofo?

Significa falta do que fazer.”

Brisa Biá - 12/04/2011

Um comentário:

  1. Então muito interessante suas idéias...
    OBVIO que exageradamente gay, afinal cada um com sua visão.. SEM PRECONCEITOS e vc mais que ninguém sabe que preconceitos ta na minha lista das coisas que eu num tenho junto com a vergonha..kakakakaka

    Alguém sempre vai ter um dupla jornada.. ou até mesmo 1/2 pra cada um.. sempre alguém terá um fardo maior..

    mesmo sendo tudo um utopicamente gay, eu gostei... vc como sempre escrevendo bem de mais...

    Filósofo realmente significa *falta do que fazer hoje em dia... A se dessem um pouco mais de atenção a toda filosofia.. iii tudo estaria melhor... FATO...

    BY: Maridooo

    ResponderExcluir