sábado, 30 de abril de 2011

050 - saude

é! ela vive em um conto de fadas
de vestidos nao remendados, mas que brilham com ouro!
é! ela nao sabe que bombas explodem no portao de casa e aceita o fetiche do canal abertamente internacional.
as vezes eu penso onde essa GLOBALIZAÇÃO vai nos levar
onde o onibus chegará?
até onde essa ilusao plausivel me deixará?
e mexem com escritores que jamais saberão sobre o que escreveram..
mudam tecidos e esquecem ideias!

liberdade e igualdade?
se somos livres, nao somos iguais - justa contradição.
equivalente as minhas vontades de optar por nao optar - nula.
atravessar conversas sem pedir licença é como atravessar a rua sem pedir passagem:
uma hora ou outra a gente ouve o que nao quer.
e olhar para os lados e falar besteira, franzir a testa pra pensar bobeira...

mas nessa crise de 'luto pelo meu socialismo com o seu capital' o que seria besteira?
o que torna-se irracional? ou menos racional? ou racional demais?!
sabe, tive idéias, e um dia verei o nascer do sol pela tela do computador, quem sabe!?
ao vivo, a cores e com o calor do meu cobertor.
mas por enquanto, me conforto com essa luta de palavras

FRASEOLOGIA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário