quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Inanhan, meu melhor pedaço


Acordei atrasada hoje, só pra variar, e estou aqui, sentada no sofá, lendo o mesmo livro pela terceira vez e tomando meu café preto, que foi passado no coador duas vezes para ficar mais forte. Assim como você fez pra mim, alguns dias atrás, quando, internamente, eu estava triste e somente o seu jogo pode me animar um pouquinho, e assim fomos para sua casa ver mapas, eu encostada no seu colo, apontando os lugares que conheceríamos e criticando as fotos porque elas haviam sido muito editadas... Agora, quando sai pra comprar pão, pedi pra mocinha da padaria me fazr figuinhas para que ano que vem eu não esteja mais em Paraty... E eu vou embora, se tudo der certo, é pra isso que tanto torcemos! Mas e você? Você vai ficar aqui? Toda vez que eu vier para a cidade que eu to dando as costas você estará aqui?
A saudade já está esganando antes mesmo de eu ir embora... Todas as noites, quando eu sair do meu serviço ou da minha faculdade e quiser fumar um cigarro, pra onde eu vou? Todas as tardes de domingo que eu quiser beber aquele capuccino e ter aquela conversa, pra onde eu vou? Quando eu tiver tristinha, que colo eu terei? Quando eu tiver muito feliz, quem vai me acompanhar? Quando eu quiser aprontar, quem vai me encobrir? Quando eu quiser dançar, quem vai mexer comigo? Quando eu quiser beber um vinho na beira da praia, quem vai sujar os pés de areia comigo?
Eu penso que as vezes não preciso de mais nada além da sua companhia.. Só ter você sentado do meu lado ou vendo aqueles filmes chatos, me fazendo esperar quieta no seu sofá...
Penso que não preciso de palavras pra me comunicar com você, que preciso das suas broncas, dos seus conselhos, dos seus empurrões, dos seus abraços, dos seus incentivos, dos seus vícios, que você segure as minhas mãos (as vezes até literalmente...)
Nossos porres, sempre nossos porres! Nossas brigas, nossas conversas, nossas risadas, nossas lágrimas, NOSSOS SEGREDOS!
Você esteve comigo quando eu mais precisei, quando eu menos precisei, quando eu era eu e quando eu não era...
Você esteve comigo no dia que eu fiz minha tatuagem, no dia que eu bebi demais, no dia que eu comecei um namoro, no dia que eu terminei um namoro, no dia que o Brasil ganhou, no dia que o Brasil perdeu, no dia que a Big Times veio tocar E DANÇAMOS MUITO, no dia que caiu uma chuva do caralho e a gente foi se molhar 'um pouquinho'... Compartilhamos momentos inesqueciveis, quando, por exemplo, eu tirei minha carteira de carrinho de supermercado, ou quando você me pediu em namoro e durou uma semana, e você me traiu em uma semana.. Mas a Lay é a Lay, né?! tudo bem...
Obrigada por aturar minhas TPM's, minhas chatices, minhas paixões e logo depois minhas revoltas, dizendo que mulher não vale nada! Obrigada por me conhecer tão bem e saber quando eu preciso de um carinho seu ou apenas um 'não, Brisa!'.
Obrigada por me travar em certos momentos e em outros me fazer chutar o balde e ir com tudo, porque, se der errado, você estará ali, por mais que diga que não vai se meter!
Obrigada, simplismente por existir e deixar que eu esteja com você em todos os momentos que eu mais adoro, seja na sua casa, na minha, na praia, perdendo e achando coisas!
A primeira vez que eu acampei foi culpa sua, sabia?! Até nadei de sutiã as 3:40h da madrugada e quase me afoguei... E nesse momento, quando você me tirava da água, ainda mais louco que eu, eu gritei as palavras que mais fazem sentido quando me refiro a você:
EU TE AMO!!

01-12-10

Nenhum comentário:

Postar um comentário