segunda-feira, 20 de setembro de 2010

nada pessoal - queeerida !


Certo, querida! Me desculpe pela grosseria...
É que existem ocasiões que a emoção estrapola e acaba gerando histeria...
Mas não! não ouse me chamar de histérica e tente entender essa energia que sobrecarrega meu corpo e eu preciso de um banho de sal grosso para me livrar de tudo o que me cerca.
Eu não tiro a razão dela, querida.
Ouvi atentamente toda e qualquer malcriação, sem questionar!
Observei atentamente todo e qualquer sinal de fraqueza que você pensava em demonstrar
Eu fui forte e fui até o fim... Abri portas, fechei portas.
Escondi meu jogo, perdi alianças, alimentei sorrisos e senti braços não seus me envolverem, para que assim eu pudesse segurar o choro que queria, a muito, sair de forma descuidada...
Mas eu fui forte!
Eu aguentei provocações e me senti lívida, enrubecida... Mas aguentei!
E quem pensava que eu não suportaria aquele dia nublado, enganou-se: foi o que mais combinou com o meu estado de espírito.
Sente-se no cais, olhe o mar, molhe os pés e delicie-se com o silêncio amigo.
Embrulhe seu âmago com mensagens literais, verbais e subliminares...
Acrescente ao ego, acrescente ao peito, acrescente a lista.
E delicie-se, nem que seja, com números.

20-09

Um comentário:

  1. "cavei, cavei, cavei... não foi romantico, mas foi profundo!" hahaha

    Só pra dizer que ficou lindamente intensoo!! =]

    ResponderExcluir