domingo, 13 de junho de 2010

nada pessoal

Existem pessoas que tem o dom. pegam papel, caneta e olham do ceu ao chao... escrevem.
se estao irritadas com o mundo as deixem falar, porq apenas querem ser ouvidas - nao as interrompa, deixe-as mostrarem toda pampa, para, logo mais, em silencio, chorar... deixe-as falar!
levante seus olhos exaustos e observe as estrelas que sorriem pra voce depois de tanta chuva... tente rezar baixo, agradeça pelo seu cafe quente; agradeça pela gente.
estamos a beira da praia, deite na areia ou molhe seus pes com agua salgada... sao as lagrimas do meu Deus que chora calado e so quer nos ouvir...sinta a brisa fria te invadir, sinta o meu apoio longiguo... eu ja vi peixes voarem e quis me assustar. ja vi pessoa gasta e quis me levantar. mas a mesa nos pertence, entao tome mais um copo e role o dado porque é sua vez... e meus olhos cansados querem atingir o breu ao ar livre.
hj eles nao querem companhia! alias, a querem sim, mas o sentido ta longe, e a copula que esperam é abstrata. eu tambem te darei a lua, aceite-a como um presente, um apoio instantaneo e possesivo. e sentir ciumes do que nao me pertence, sentir desejos pelo indecente, sentir medo e mais medo... tinha enferrujado o tesao propositalmente para que nao soasse vulgar.


>> Ou encontramos uma forma, ou a inventamos !

Um comentário: