sexta-feira, 7 de maio de 2010

Auto-pseudo-personagem

Hoje eu sei que eu sou tao normal quanto todo mundo, e tao unica quanto eu mesma. nao sei falar varias idiomas, acho taaao complicado aquele sinonimo de problema (tchutchu. tchiutchi...). eu tenho medo de escuro, porque acho triste ficar num breu, sozinha, mas sempre que acaba a luz e ha estrelas no ceu acho divino, e peço para que seja sempre assim. adoro praia no frio, adoro passeio na chuva, adoro beijos com gosto de chocolate! odeio preconceito, odeio limites, odeio redençao. somos todos tao fracos, nao estamos imunes a erros, mas dentro de todos existe alguem tao surpreendente que corrompe nossas barreiras para irmos alem. eu tenho medo do futuro, eu tenho ansia ao presente e nostalgia ao passado. como cachorro-quente como ninguem, faço um miojo e bolo de canela como ninguem... eu sorrio quando estou feliz, triste ou brava. eu choro quando estou feliz, triste ou brava. sempre escrevo muito sobre mim e nunca digo nada. sou curta, feita de frases soltas... leio chaplin, gandi, verissimo. ouço chopin, pink floyd, slipknot. gasto dinheiro pagando por papeis surrados de desconhecidos simpaticos: eu compro ideias, e pago barato por isso. minhas ideias sao free- devem ser lidas com um cafe preto, tempo e critica..

Nenhum comentário:

Postar um comentário